02 maio 2008

Ser Paramécia

Em conversa com uma avó sobre o senhor do Wisky, almofadas, tocar-se no banho e reprodução, chegámos à conclusão do interessante que seria se fossemos como uma paramécia e nos reproduzíssemos por Bipartição, pois cada vez que nos tocássemos no banho, saia uma pequena gaiata do nosso regaço, o que tinha a sua beleza.
Esta conclusão com tudo menos com nexo leva-nos a terrenos por percorrer, como o de nos tocarmos no banho.
Ora bem, este deveria ser um comportamento normal. Percorrer as páginas amarelas da nossa intimidade deveria ser uma constante na vida duma mulher que desta maneira, além de conseguir ter momentos únicos de prazer, também é um importante meio de prevenção no sentido em que o palmilhar da pele leva à descoberta de possíveis tumores e anomalias num corpo que devemos conhecer pelos sinais.
Mas recentemente descobri que faço as coisas mal. Afinal de contas quando me toco no banho não uivo à lua nem sinto que tenho borboletas no estômago, não sinto que o meu cérebro envia milhares de estímulos nervosos a todo o meu corpo e não fico possuída! Ainda não encontrei as tão famosas 8 mil fibras nervosas que nos fazem ficar católicas.
Afinal quando “I let the fingers do the walking” é pura e simplesmente um passeio pelas curvas agrestes do meu corpo e não me masturbo coisa nenhuma, andei eu aqui a brincar às mulherzinhas e tudo o que faço é pura e simplesmente nada.
A sensação é boa a de percorrer o próprio corpo enquanto se imagina cenas escaldantes com senhores grandes e robustos de ascendência africana, mas pelos vistos o que eu ando a fazer é para meninos que ainda acham engraçado enfiar coisas no rabo.
Nunca antes tinha falado tanto de masturbação como nos últimos tempos, e o resultado não tem sido favorável no sentido em que percebo a nulidade do que tenho feito e os anos que tenho perdido a passear sem alcançar a meta.
Afinal como se faz? Porque se faz? Para quê se faz? Tens mesmo que atingir o orgasmo cada vez que te masturbas se não serve só para coçar a passareca?
Bem, são muitas perguntas que não vejo resolvidas e a verdade é que não consigo fazer melhor. Acho que realmente preciso de ajuda prévia e de ser descoberta por algum desportista antes de ser descoberta por mim própria. Falta-me Matinal!
Não sei se quando começo no toutch a veia religiosa em mim palpita e sinto sempre que vivo num eterno Big Brother e que estou constantemente a ser vigiada, não sei se todos sentem o mesmo que eu, se estou a ficar paranóica e não faço ideia como fazer para deixar de me sentir observada e não ter vergonha de explorar o que há para explorar e sentir o que há para sentir.
É completamente diferente ter alguém que nos sente ou sentirmo-nos a nós próprios. É realmente outra sensação ter outras mãos que nos tocam que não as nossas, o toque é realmente o sentido chave e acredito que faça milagres pela saúde. Aqui fica mais uma proposta: Um menino alto e robusto disponível para nos tocar no banho em cada farmácia!
E é depois de escrever isto, e pior… de publicar, que realmente peço às fadas e duendes para que ninguém suficientemente lúcido leia isto. Vocês tresloucados não me preocupam, são os outros pelos quais rogo….

3 comentários:

  1. *sorriso-nervoso-de-menina-católica,-mas-que-não-é -católica,-mas-que-tambem-foi-influenciada-pelo-catolicismo-e-por-isso-tem-o-mesmo-sorriso-nervoso-como-se-fosse*
    Confusa???....errrr..eu tambem....
    Mas numa coisa não há confusões...a proposta para um menino alto e robusto disponível para nos tocar no banho em cada farmácia! está deveras aceite pour moi..até acho que deviamos lançar uma petiçao (que ate estao tao na moda) e mandar pó Socrates...k dizes..hein?hein?...pronto...mandamos pó partido dos verdes entao...porque assim sempre se poupava agua nos banhos...errr...isso...pois...e la vem o sorriso nervoso outra vez....

    ResponderEliminar
  2. G point (lol)1:47 da tarde

    tst, tst, se a tua outra mae le isto......

    gyp

    ResponderEliminar
  3. Anda tudo com sorrisinhos nervosos, mas no fundo tocam-se todos no banho que eu sei minhas porcas... Acho que perdi a minha moral com este post... ahh.. que se lixe, não era assim grande espingarda também. E acredito que consigo fazer muito pior...

    ResponderEliminar